Topo
Coworking

Coworking

"Correios" dos EUA já testam caminhões autônomos para entregas

Coworking

25/05/2019 04h00

Hovercraft, aviões de propulsão, paraquedas, moto de neve e trem de mula são alguns dos transportes usados pelo USPS (serviço postal dos EUA) para transportar cerca de 484,8 milhões de correspondências todos os dias, e agora estão testando mais uma maneira: os caminhões autônomos da TuSimple.

A startup de robôs fundada em 2015 e com sede em San Diego (EUA) e Pequim (China) tem parceria com a empresa chinesa de tecnologia Sina e com a fabricante de chips Nvidia. Até o momento ela já levantou US$ 178 milhões e foi avaliada em US$ 1  bilhão.

A TuSimple equipa caminhões da Navistar com a própria tecnologia autônoma da startup que engloba nove câmeras. Além disso, os veículos possuem um par de sensores LIDAR a bordo e conseguem ver 1 metro à frente.

A parceria com o serviço postal norte-americano será testado por duas semanas. Durante esse tempo, serão transportadas correspondências entre Phoenix e Dallas com o intuito de verificar se a nova tecnologia melhora prazos e custos de entrega.

Entretanto, nestes primeiros momentos haverá a bordo um motorista e um engenheiro de segurança para assumir o controle do caminhão caso algo dê errado.

O programa prevê 5 viagens de ida e volta, totalizando mais de 3.380 km – ou cerca de 45 horas de condução -, entre os centros de distribuição dos correios. As empresas não estão divulgando valores.

Quando o veículo puder operar com um motor verdadeiramente sem piloto, será muito mais eficiente. Acreditamos que completamos uma corrida de costa a costa em dois dias, onde hoje são necessários cinco

Chuck Price, diretor de produtos da TuSimple

O USPS gasta mais de US$ 4 bilhões por ano em serviços rodoviários de transporte e esses custos têm aumentado devido à escassez de motoristas. Os caminhões autônomos ajudariam na economia de muitos milhões ao eliminar motoristas humanos, além de poder dirigir 24 horas por dia.

Sobre o Blog

Soluções para uma vida cada vez mais complicada. É isso que jovens empresas da tecnologia buscam, mas nem todas conseguem "mudar o mundo" como prometem. Este espaço do Tilt é para contar essas novidades e também alguns fracassos que nos ensinam a seguir e melhorar.

Mais Coworking